Livro VS Filme | A Saga Divergente: Insurgente é UFC inteiro na cara de quem duvidava

Pois é, dois sábados sem postar coisa sobre cinema. E sábado tá sendo um dia péssimo para mim, então estou pensando seriamente em mudar o dia de postagem de cinema. Mas, o problema é: quando?

Aliás, já curtiram a página do blog no Facebook?

096385.jpg-r_640_600-b_1_D6D6D6-f_jpg-q_x-xxyxx A Saga Divergente: Insurgente

Direção: Robert Schwentke

Com: Shailene Woodley (Tris Prior), Theo James (Quatro), Ansel Elgort (Caleb Prior), Miles Teller (Peter), Jai Courtney (Eric), Octavia Spencer (Johanna)

Em A SÉRIE DIVERGENTE: INSURGENTE, os riscos para Tris aumentam quando ela sai à procura de aliados e respostas nas ruínas de uma Chicago futurista. Tris (Shailene Woodley) e Quatro (Theo James) são agora fugitivos, caçados por Jeanine (Kate Winslet), a líder da elite Erudição, faminta pelo poder. Correndo contra o tempo, eles precisam descobrir a causa pela qual a família de Tris sacrificou suas vidas e por que os líderes da Erudição farão tudo para impedi-los.
Assombrada pelas escolhas do passado, mas desesperada para proteger quem ama, Tris, com Quatro a seu lado, encara um desafio impossível atrás de outro, ao desvendar a verdade sobre o passado e também o futuro de seu mundo. Desafie a realidade, busque a verdade

A primeira coisa que eu percebi, logo ao ver o teaser, é que o filme não tá fiel ao livro em acontecimentos, mas tá fiel em ideias! As cenas que levam ao final são totalmente diferentes das cenas que levam ao final do livro, mas essa mudança foi muito bem feita e tem até sentido. Durante o livro inteiro, a autora se preocupou em mostrar o psicológico da Tris, e o filme fez isso, só que uma maneira mais “vísivel”, recorrendo um pouco menos da atuação da Shailene Woodley.
O filme inteiro foi um tapa na cara, mas tomei outro tapa em quesito de atuação. Achei que não encontraria atuações muito boas, mas não consigo lembrar de um ator que não esteja bem no filme. A Shailenne, o Ansel, o Theo estavam ótimos. Principalmente o Miles Teller (que eu ainda acho que é filho não-assumido do Edward Norton), que faz o Peter, alívio cômico do filme, tava excelente, roubava as cenas a todo momento. A atriz da Johanna também tava espetacular.
Eu gostei bastante do figurino. Todos eles, como no primeiro filme, reforçavam a presença onipresente das facções. Afinal, gostei da direção de arte e da cinematografia, principalmente dos ângulos de câmera (que eu sempre presto atenção).
Todo mundo falou dos efeitos especiais, e eu reforço. Que coisas lindas, minha gente. O 3D só deixou mais lindo ainda. O filme já saiu de cinemas, mas se você tiver a oportunidade, veja em 3D que deixa a experiência ainda ais agradável, mas não é uma regra, como A Batalha dos Cinco Exércitos
Uma coisa que, quando um leitor diz, é a maior verdade do mundo: ele é um dos pouquíssimos filmes que ficaram melhores que o livro. O pessoal da adaptação simplesmente cortou metade do romance (e o pouco que ele deixou, ele melhorou) e se concentrou nos dois maiores presentes que o livro deu pra gente: psicológico e ação, e esses dois presentes andaram de mãos dadas nas melhores cenas.
Insurgente é um tapa de na cara de um monte de gente que achou que o filme seria bosta. Não um tapa, um UFC inteiro, por que sim, Insurgente é um dos melhores filmes de adaptação do ano, e provavelmente um dos teen também.

 

Obrigado por ler até aqui! Até mais gente o/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s