PEDA #21 – Entrevista Felipe Araújo (O Assassino de Valesco)

E agora, para fechar (infelizmente) o ciclo de entrevistas de ficwritters que viraram autores, vamos ver a entrevista com o Felipe Araújo, autor de O Assassino de Valesco! Você pode adquirir o livro diretamente no site da editora!

Existem lugares que a crueldade e a insanidade é elevada ao inimaginável. Lugares que nunca deveríamos visitar. Mas um grupo de jovens desavisados acabam descobrindo um lugar semelhante a descrição. Poderiam querer a morte depois de serem sequestrados, mas não seria tão fácil assim. Em plena Serra do litoral Paulista, um grupo de jovens sofre um acidente e em busca de ajuda é submetido a um mundo de dor e insanidade. Uma família de assassinos com um negócio antigo de família. Um maníaco mascarado sedendo de sangue caçará os jovens um a um. Mergulhe em um mar de carnificinas, maldades, torturas e ódio. Uma mistura de mistério e sangue. Até onde o ser humano consegue aguentar a dor? Até onde levamos nossa coragem para salvar quem amamos? Podem Alan e seus amigos sobreviverem ao Assassino de Valesco?

assassinovalesco

  1. Existe algum personagem no livro ou em uma fanfic que é baseado ou inspirado em você?

Felipe Araújo: Em meu livro “O Assassino de Valesco” o personagem principal, Alan tem basicamente minha personalidade: Inseguro, amigo, determinado, corajoso (As vezes), tímido (As vezes). E em minha Original que posto no Nyah, o Nicolas é fortemente inspirado em mim, acho bem mais fácil elaborar diálogos e pensamentos se o personagem tiver um toque de realidade, sempre descrevo meus personagens pensando em alguém, isso me ajuda muito.

2.Seu livro é “O Assassino de Valesco”. Você se baseou em alguma notícia real para escrever a história?

F.A.: Não. Me inspirei em filmes que adoro como: O Massacre da Serra Elétrica e Panico na Floresta. Mas tudo original saído da minha cabeça meia doida haha.

3.Qual foi a reação dos leitores ao saber que você lançaria um livro? Teve alguma que você achou engraçada?

F.A.: Ficaram loucos. Foi bem engraçado e gratificante a reação deles, principalmente dos três leitores que fiz questão de colocar o nomes deles destacados no livro na parte de agradecimentos. A Mia que mora em Moçambique – Maputo no Continente Africano ficou radiante quando viu que o nome dela estava nos agradecimentos. Tive que enviar um livro para ela. Neste momento o livro viaja mais de 9 mil quilômetros para as mãos da minha leitora critica no Nyah, agora em páginas. É de vomitar arco iris como ela diz haha,

 

4.Como é ter um livro publicado e ainda publicar fanfics? Alguém já leu seu livro e depois 11049520_745039138950605_521775448707506735_nachou sua fanfic e disse “nossa, eu li o seu livro!” ou vice-versa?

F.A.:Como meu livro foi lançado há pouco tempo ainda não tive tantas reações assim. Mas, algumas leitoras que receberam o livro ficaram doidas de ler a história que lia no Nyah em livro. Muitos me incentivam ainda mais à  terminar minhas originais, e querem por que querem que vire livro também. Agora que publiquei o primeiro tenho anciã em mais. E com a ajuda dos leitores vou conseguir atingir os meus objetivos.

 

  1. Além de ter um livro publicado e ter fãs tão carinhosos, qual foi a melhor coisa que o universo das fanfics te proporcionou/te proporciona?

F.A.: Me proporciona emoção em cada capítulo postado, sabe? Esperar os comentários é sempre instigante. E como gosto de escrever é sempre bom, amo criar,

 

  1. Existiu uma mudança significativa entre a versão da fic e a versão final do livro?

F.A.: Não significativa, mas aumentei muitos os capítulo com mais detalhismo,

 

PEDA #17 – Entrevista com Miriã Veloso (Um Italiano em Minha Vida)

Olá! Seguindo o ritmo de entrevistas, hoje teremos entrevistas com a Miriã, que está prestes a lançar seu primeiro livro, o Um Italiano em Minha Vida!

Mesmo que ele ainda não tenha sido lançado, você pode ler a história pelo Wattpad. Prometo (promessa de mindinho gente, coisa séria) anunciar o lançamento por aqui!

“Prepare sua caixinha de lenços e um pouco de chocolate quente (ou chá). Você vai se encontrar num passatempo clichê “água-com-açúcar” capaz de te encher os olhos d’água.”

12849602-256-k4867081. Existe algum personagem no livro ou em uma fanfic que é baseado ou inspirado em você?

Miriã Veloso: Quase todas as personagens femininas. E eu diria que os personagens masculinos também, mas indiretamente. Como? A tendência de muitas escritoras é sempre criar um personagem homem baseado em alguém que ela conheceu ou gostaria de conhecer. Logo, Anthony é um pouco baseado no tipo de homem que eu gostaria de conhecer, assim como Fred e James.
Já as personagens mulheres, cada um tem um pouco de mim. Louise tem o mesmo amor pela escrita e pela dança que eu tenho, mas ao mesmo tempo tem uma ousadia que eu não tenho, mas gostaria de ter. Marianne já retrata meu lado meio maluca, que de vez em quando gosta de “colocar lenha na fogueira”, mas nada fora do limite. E Giulia retrata meu lado de irmã ciumenta.
Colocar um pouco de você num personagem é uma regra natural.

 

  1. Qual foi sua primeira fic de sucesso?

M.V.:”Um Italiano em Minha Vida”, meu livro. Foi o único projeto no qual consegue terminar, mesmo levando dois anos. A princípio, era quase uma fic ou spin-off de Sushi (Marian Keyes). Mas acontece que, felizmente, eu não consigo copiar completamente uma história e fico feliz e saber disso através dos próprios leitores. Tudo começou no orkut. Depois que anunciaram o fim dele, migrei o quanto antes para o Wattpad. Esse livro só faz sucesso hoje, graças às minhas tentativas na época do orkut. Serei grata pro resto da vida aos leitores das WNF`s e SW.

 

  1. Como foi transformar a fic em livro? Teve alguma coisa que você mudou e que te deu um aperto no coração depois (no sentido de você gostar muito daquela parte, mas perceber que ela não encaixava no livro)?

M.V.:Não foi exatamente uma transformação. Eu sempre realizo meus projetos sonhando um degrau mais alto. Por mais que no começo fosse um spin-off de um livro famoso, eu não deixei de continuar escrevendo-o como livro. Desde o começo, a ideia era de ser um livro. Mas pra ser sincera, nesse primeiro livro, eu relaxei um pouco, não por preguiça mas pela frustração que nós escritores temos por natureza. Eu gostaria de ter pesquisado mais a fundo, ter destacado mais os lugares e as visitas dos personagens à Itália. Essa é a minha frustração no quesito “trecho que não encaixou na cena”, eu não sabia como encaixar as descrições então acabei deixando do jeito que está. Mas nos próximos, garanto que os leitores poderão conhecer melhor os lugares em que viajarão junto aos personagens!11094214_963363980374860_1246773099_n

 

  1. Quando foi o processo de começar a correr atrás de editora para a publicação? Algum leitor ajudou nesse momento?

M.V.: Comecei ano passado, se não me engano. Na verdade, eu nunca quis publicar. Sou uma pessoa meio antipática e não gosto muito de sessão de fotos e autógrafos (VOCÊ TÁ MALUCA FILHA?), sim, eu não gosto, hahaha. Todas as editoras para quem eu mandei, aprovaram meu livro. Mas vai por mim, não é grande coisa. A maioria das editoras só querem o dinheiro do sucesso que o seu livro vai fazer. Mas depois de um tempo, analisando as propostas, um amigo, da Selo Jovem, me fez uma ótima proposta, e desde então, o sonho dos amigos de ter um exemplar do meu livro, está cada vez mais perto de se realizar. Só quero que as pessoas leiam e apreciem minhas histórias, nada mais. Meus leitores e amigos são os meus maiores parceiros. Não são muitos, mas são o suficiente para me manter firme e me ajudar sempre que precisar. Sou grata a cada ajuda que eles ofereceram, mesmo que tenha me ajudado a mudar uma simples frase ou a decidir se eu usaria um pseudônimo ou não. Faço questão de mencionar os que realmente me ajudaram na dedicatória e sempre que eu tiver oportunidade.

 

  1. Como está sendo a reação dos leitores da fic? Alguma que você registrou mentalmente por ser muito emocionante/engraçada?

M.V.:Eu não tenho muita ideia da reação deles porque infelizmente os leitores não costumam comentar, é claro que fico chateada, mas não exijo que comentem. Mas quando recebo um comentário, fico muito feliz, tanto quanto a felicidade de saber que vou poder ter meu livro impresso. Cada comentário, por mais simples que seja, é especial pra mim. Mas tem um em especial que nunca vou me esquecer: quando uma moça disse que foi até uma livraria perguntando se tinham o meu livro pra vender! Fiquei pasma. Eu jamais esperaria que isso acontecesse. O máximo que eu espero acontecer é de uma pessoa chegar até mim e pedir para ler meu livro, por indicação de um amigo. Mas isso?! É uma lembrança que vou guardar pro resto da vida, mesmo depois de publicado.

 

  1. Qual seu pior medo como autora?

M.V.: Acho que de ser plagiada, mas isso acontece todos os dias. Rapaz, nunca parei pra pensar nisso! Como eu falei antes, eu nunca quis publicar, seguir carreira, logo nunca pensei em alguma coisa que pudesse me prejudicar. Acho que é uma questão a se pensar.

 

Obrigado pela entrevista Miriã ❤

PEDA #15 – Entrevista com Taty Lima (Namorados Por Coincidência)

Olá! Em mãos, a primeira entrevista do blog: Taty Lima! Ela é uma ficwriter que conseguiu lançar seu primeiro livro, o Namorados Por Coincidência, que você pode comprar o ebook na loja da Amazon ou o livro físico aqui!

Namorados Por Coincidência – Cabelo até a nuca, despenteado e despojado. Blusa definindo os bíceps, calça jeans sempre nova. Pivô indispensável do time de basquete e um sorriso sedutor… Pelo menos era assim que ele se via e estava disposto a aumentar a sua lista de ficantes. Para isso, prepara uma festa em sua casa convidando todos os alunos do 3º ano de seu colégio com a intenção de ter uma chance com Larissa, a popular.

Durante a festa, ele é flagrado em seu quarto com Lilian, a garota mais excluída e humilhada de todo o colégio. A surpresa é maior quando, quem os flagra, descobre que Lilian é dona de lindas curvas e seios fartos.

Ao ser exposto para todos, Leonardo não consegue negar seu envolvimento com Lilian, que ao descobrir tudo, sente-se confusa por se tornar o centro das atenções.

NAMORADOS_POR_COINCIDENCIA_1415906940348418SK1415906940B1.Existe algum personagem no livro que é baseado ou inspirado em você?

Taty Lima: Todos os meus personagens possuem alguma característica minha (geralmente gosto pela música), mas nenhum é inspirado ou baseado em mim.

 

  1. Quando você percebeu que você tinha material suficiente para virar um livro em suas mãos? As/os leitoras(res) ajudaram nisso?

T.L.: Justamente quando leitores surgiam do além para me perguntar se era eu quem escrevia Namorados Por Coincidência. Até hoje eu não sei quantas pessoas sabem ou leram quando ainda era postada, mas quando eu chegava em uma comunidade para comentar algo e alguém dizia: Eu sei quem é você, eu lia sua história e desculpe ter sido fantasma!
Isso me fez acreditar que estava na hora de investir no meu livro.

 

  1. Qual foi a melhor reação que você viu de um leitor que te lia desde a época da fic quando ele/ela recebeu a notícia de que viraria livro?

T.L.: Não foi quando falei que viraria, foi quando falei que já estava na pré-venda e ela fez questão de uma das 05 primeiras.
Acho que foi uma das melhores reações.

 

4.  Já chegou a fazer alguma amizade por causa de fanfics?11053601_1052488281434178_4814718339418278866_n

T.L.: Muitas, chega a ser incontável.

 

  1. Em livros e fanfics, existem cenas ou parágrafos que não há escolha: ou você muda o livro inteiro ou você simplesmente deleta ele. Você tem algum que te cortou o coração por ter que tirar da fic na hora de passar para o livro, ou que isso aconteceu enquanto você escrevia a fic mesmo?

T.L.: Teve um personagem que enquanto eu postava eu simplesmente esqueci dele. E ele tem uma história interessante, é tão importante para o principal quanto os outros personagens. Então eu tive que decidir entre excluir todas as cenas em que ele estava ou acrescentar explicações.
Me matava ter que tirá-lo, fingir que ele nunca existiu, então optei por dar uma explicação.

 

  1. Existem muitas diferenças entre a primeira vez que você postou a fic da versão final do livro?

Não, apenas alguns acréscimos e correções rotineiras.

 

Obrigado, Taty, por reservar seu tempo para responder á entrevista! Comprem o livro, ajudem um autor, gente!

Até amanhã o/